sábado, 31 de março de 2012

Nos desígnios de Deus, a igreja existe para fazer missões no mundo. Deus em si mesmo tem caráter missionário. A Trindade é bem compreendida nas suas atividades de chamar e enviar. A Igreja entende seu propósito e caráter missionário quando observa e imita o amor de Deus pelo mundo.

Gosto da frase do teólogo Karl Barth: “Devemos ser uma igreja para o beneficio do mundo”. E a maneira que encontro para definir “uma igreja para o benefício do mundo”, estaria contida na frase “Comunidades de Deus com Caráter Missionário". Isto, de uma maneira geral, é para onde devemos caminhar.

O que quero dizer aqui, é que não somos apenas um “povo”. Somos um povo para o benefício do mundo. Adoro a frase que George Hunsberger e outros que a usam, que nós somos um povo enviado. Infelizmente, nós temos a tendência, como evangélicos, de compreender que somos “salvos de” e muito menos a compreensão do que somos “salvos para”.

Logo, a igreja que quero construir levaria muito a sério “equipar os santos” para o beneficio do mundo. É preciso ser um belo exemplo do que significa ser “pedras vivas” ( I Pe 1:4-5), como Pedro chama os cristãos.

Portanto, a igreja que quero construir, teria como alvo, ser uma comunidade “enviada”, um corpo de pessoas, enviados com uma missão. E isto significa que devemos ir bem fundo no mundo. Tragicamente, tenho descoberto que alguns de nossos líderes e membros presentes nas igrejas inverteram a ordem das coisas. Eles são do mundo, mas nunca estão no mundo. Precisamos ter a certeza de que não seremos intimidados pela marginalização e nem capturados pelas distrações que o mundo oferece.

Ao invés disso, Deus tem nos chamado para ser uma demonstração – um tira-gosto – do Reino de Deus, no meio do mundo real. Isto significa que temos, não somente, uma mensagem para anunciar, mas temos que incorporar esta mensagem na nossa vida diária. Por isso, não podemos conceber a nós mesmos como sendo uma igreja “com” um programa de missões; nós temos que nos ver e entender como sendo, de fato, uma congregação missionária. Emil Brunner disse que “Missão é para igreja o que o queimar é para o fogo”.

É tempo de aprendermos a ser missionários. Missão jamais pode ser apenas o que a igreja “faz”. Missões é o que somos. A comunidade de Deus é fundamentalmente um encontro missionário com cada cidade, setor, bairro e vilarejos, neste universo.